DETENTOS SE REBELAM DEVIDO A SUPERLOTAÇÃO E QUEIMAM COLCHÕES NO CDP DE AMERICANA

Não houve reféns e a situação está controlada

Na tarde desta quarta-feira (13), detentos do Centro de Detenção Provisória (SP), em Americana (SP), iniciaram uma tentativa de rebelião para protestar contra a superlotação da unidade.


Cadeia abriga 1.353 homens, mas a capacidade é para 640 (Foto: Paulo Augusto / EPTV)

De acordo com o sindicato dos agentes de escolta e vigilância penitenciária em São Paulo (Sindespe), os manifestantes do Pavilhão A queimaram colchões, roupas, danificaram grades das celas, além de ofenderem e ameaçarem funcionários.

Um grupo de intervenção foi ao local e conteve a situação, que não deixou feridos.

O presidente do Sindespe, Antonio Pereira Ramos, alegou que o ato dos detentos foi motivado porque “há muitos presos e eles querem ser transferidos.”

De acordo com a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), o espaço tem 1,3 mil pessoas no espaço com capacidade para 640 vagas, e está entre as seis unidades da região de Campinas (SP) que registram este tipo de problema.

Em fevereiro, a Defensoria Pública de São Paulo conseguiu uma liminar judicial que determina a transferência de presos para reduzir a superlotação.

"A cada minuto que passamos com raiva, perdemos sessenta segundos felizes."

Ralph Waldo Emerson